Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Wines & Whispers

Um blog para quem, como eu, procura descobrir, entender e partilhar as histórias que uma garrafa de vinho tem para contar.

Wines & Whispers

Um blog para quem, como eu, procura descobrir, entender e partilhar as histórias que uma garrafa de vinho tem para contar.

Vinhos biológicos Herdade do Esporão

thumbs.web.sapo.io (1).jpg

Trata-se do primeiro lançamento de vinhos resultantes do cultivo de vinhas biológicas, o primeiro resultado de um projecto já com alguns anos por parte da Herdade do Esporão e a confirmação de uma tendência para vinhos mais biológicos que temos vindo a registar nos últimos anos.

 

O Esporão Colheita Branco 2016 é um branco monocasta Antão Vaz com um teor alcoólico de 14,00 %, enquanto que o Esporão Colheita Tinto 2016 é um bivarietal de Touriga Franca e Cabernet Sauvignon, com o mesmo teor alcoólico do seu irmão branco.

 

Estes dois vinhos colheita chegam agora ao mercado, com um P.V.P. a rondar os 10€.

CORTES DE CIMA Syrah 2012

Cortes de Cima Syrah 2012 (1).JPG

Este é um dos vinhos que, colheita após colheita, me continua a surpreender e deliciar. A sua consistência faz com que, anos após ano, seja um dos vinhos tintos que continuo a querer comprar e provar, não deixando nunca de me surpreender, como se da primeira vez se tratasse.

 

Foi pois, com especial afecto, que voltei a este Syrah Cortes de Cima, gama de entrada dos Syrah do produtor, onde evolui depois para o Homenagem a Hans Christian Anderson e o icónico Incógnito.

 

Encontra-se num ponto de consumo ideal, a meu ver, podendo contudo beneficiar com mais alguns anos em cave. Tem corpo e acidez para se refinar, assim possamos resistir à tentação de abrir a garrafa.

 

Notas de Prova :

 

Rolha em excelente estado, molhada na base e compouquíssima progressão.

 

Cor granada, nariz arrebatador de frutos vermelhos, com notas bem ligadas de cacau, baunilha e especiaria, fruto do seu estágio em barrica. No paladar, assume a sua vigorisidade característica, um tinto carnudo e de acidez elevada, com taninos macios. Mostra-se bastante sumarento e complexo, muito bom volume de boca, e termina longo e muito persistente, bastante envolvente.

 

 

Classificação Pessoal : 16,5 valores

 

 

RegiãoAlentejo
Tipo de Vinho     Tinto
Ano2012
ProdutorCortes de Cima
CastasSyrah
Teor Alcoólico14,00 %
ConsumoBeber / Guardar

AR Touriga Nacional 2013

AR Touriga Nacional 2013.JPG

 Depois da experiência do AR Reserva tinto 2013 (poderão ler a nota de prova aqui), colquei hoje em prova o vinho AR Touriga Nacional 2013.

 

Tenho vindo a registar com muito agrado o ressurgimento da Adega Cooperativa do Redondo, com vinhos com muita qualidade, muita consistência e que transportam consigo muito da alma Alentejana de que, particularmente, muito aprecio.

 

 

Notas de Prova :

 

 

Rolha em excelente estado, molhada apenas na base, sem progressão.

 

Aroma exuberante a frutos silvestres vermelhos, notas de especiaria, caramelo e um toque vegetal. Na boca, vinho com bom porte, enche bem a boca, num ataque quente e seco. Taninos bem desenhados, a vincar a sua juventude, com garra e cheio de vida, proporcionando um final bem persistente e muito longo.

 

Como referi, este vinho emana alma Alentejana a que ninguém poderá ficar indiferente, a um preço muito convidativo para esta qualidade. Dá clara sensação de que poderá ainda estar numa fase crescente em garrafa, mas merece ser bebido já.

 

Classificação Pessoal : 16,0 valores

 

 

RegiãoAlentejo
Tipo de vinho     Tinto
Ano2013
ProdutorAdega Cooperativa do Redondo
CastasTouriga Nacional
Teor Alcoólico14,00 %
ConsumoBeber / Guardar

Prova de Vinhos DONA MARIA

Jantar Vínico DONA MARIA (1).JPG

 

IMG_0133 (1).JPG

 

 Jantar Vínico DONA MARIA organizado pela garrafeira Dom Vinho, na Quinta das Lágrimas (Coimbra). Os vinhos em prova foram:

 

  • Dona Maria Rosé 2016

Bonita cor salmão claro, num claro estilo de vinho rosé de cor menos carregada e mais  elegante, apresenta-se no nariz com bastante delicadeza, muito frutado com boas notas de frutos tropiacais, framboesas e morangos.

 

Na boca, é um vinho muito macio, fácil de se beber, muito leve sem que com isso deixe de ser persistente, o que o torna ideal para um fim de tarde de Verão.

 

Tem bom volume de boca, com um final médio a longo e persistente.

 

Classificação Pessoal : 16,0 valores

 

RegiãoAlentejo
Tipo de Vinho    Rosé
Ano2016
ProdutorJúlio Bastos
CastasAragonez e Touriga Nacional
Teor Alcoólico12,00 %
Consumo

Beber

 

 

  • Dona Maria Viognier 2015

Cor citrina com laivos amarelados, de aspecto bastante límpido. O aroma remete de imediato para a casta, com notas florais de jasmim, bastante frutado com destaque para pêra, manga e pêssego.

 

Na boca, mostra-se um branco cremoso e bastante guloso, com boa acidez e volume de boca, muito equilibrado.

 

Está um branco bastante bem feito, afinado, e que termina com um bom comprimento de boca e persistência.

 

Classificação Pessoal : 17,0 valores

 

 

RegiãoAlentejo
Tipo de Vinho    Branco
Ano2015
ProdutorJúlio Bastos
CastasViognier
Teor Alcoólico13,00 %
ConsumoBeber

 

 

  • Dona Maria Touriga Nacional 2013

Bonita cor violeta, com aspecto límpido.

 

No nariz, notas florais de bergamota e violetas, apresenta um paladar bastante sedoso e requintado, com bom volume de boca. Os taninos são requintados, com personalidade e classe, aliado a uma muito boa acidez. Tudo conjugado, permite afirmar que estamos perante um tinto em claro crescimento e com grande potencial de envelhecimento.

 

Termina longo e persistente.

 

Classificação Pessoal : 17,0 valores

 

RegiãoAlentejo
Tipo de Vinho    Tinto
Ano2013
ProdutorJúlio Bastos
CastasTouriga Nacional
Teor Alcoólico14,50 %
ConsumoBeber / Guardar

 

 

  • Dona Maria Amantis Reserva 2012

Apresenta no copo uma bonita cor rubi, brilhante, de aspecto concentrado.

 

No nariz, notas muito interessantes e complexas de frutos do bosque maduros, ainda algo fechados, com toque vegetal. No palato, a confirmação de que é um vinho ainda jovem, encontra-se algo fechado em sabores mas mostra uma acidez muito equilibrada e é bastante fresco, complexo, com notas de frutos vermelhos e especiaria. Os taninos estão muito bemdesenhados, macios e nada agressivos, para uma prova cheia de prazer.

 

Termina longo, firme e afirmativo, sendo um tinto para beber desde já mas que com alguns anos de cave poderá ainda evoluir.

 

Classificação Pessoal : 17,0 valores

 

RegiãoAlentejo
Tipo de Vinho    Tinto
Ano2012
ProdutorJúlio Bastos
CastasSyrah, Petit Verdot, Cabernet Sauvignon e Touriga Nacional
Teor Alcoólico14,50 %
ConsumoBeber / Guardar

 

 

  • Dona Maria Grande Reserva Tinto 2012

Depois de em 2016 o Grande Reserva 2011 ter ganho inúmeros prémios nacionais e internacionais, existia grande expectativa relativamente a este Grande Reserva 2012.

 

De cor rubi intensa, carregada, apresenta um nariz cheio de classe, com notas de frutos vermelhos silvestres, menta e especiaria, fruto do seu estágio em madeira de carvalho francês.

 

Na boca, resulta um tinto muito envolvente e sedutor, bastante afinado já, com taninos sedosos e cheios de requinte. Muito bom volume de boca, termina muito longe e bastante persistente, cheio de personalidade e com a promessa clara de ainda vir a crescer muito em garrafa.

 

A prova de que o ano de 2011, para o Grande Reserva, não será um caso isolado.

Excelente!

 

Classificação Pessoal : 18,0 valores

 

RegiãoAlentejo
Tipo de Vinho    Tinto
Ano2012
ProdutorJúlio Bastos
CastasAlicante Bouschet, Petit Verdot, Touriga Nacional e Syrah
Teor Alcoólico14,50 %
ConsumoBeber / Guardar

 

 

  • Dona Maria Late Harvest 2011

Cor dourada, intensa e brilhante, apresenta um nariz com notas caramelizadas, alperce e damasco. No palato, doçura equilibrada com notas de mel e uma acidez acima da média. Final longo, guloso e persistente.

 

Classificação Pessoal : 17,0 valores

 

RegiãoAlentejo
Tipo de Vinho    Branco
Ano2011
ProdutorJúlio Bastos
CastasSemillon
Teor Alcoólico12,50 %
ConsumoBeber

MONTE VELHO Branco 2016

Monte Velho Branco 2016 (1).JPG

 

Localizada no coração do montado Alentejano, em Reguengos de Monsaraz, a Herdade do Esporão é uma das mais emblemáticas Herdade e Quintas nacionais, com uns impressionantes 700 hectares de vinhas com cerca de 40 castas diferentes, de onde saiem alguns dos melhores vinhos Portugueses. Os seus solos são maioritariamente de natureza granítica-xistosa, com estrutura franco-argilosa.

 

Um dos vinhos mais vendidos do Esporão é, sem dúvida, o Monte Velho, conseguindo combinar vários factores de sucesso numa garrafa: qualidade, os melhores aromas e sabores dos vinhos Alentejanos, a um preço que fosse possível chegar a um maior número de pessoas.

 

 

O seu nome provém de um monte localizado na Herdade, junto à albufeira da Caridade.

 

Notas de Prova :

 

Agradável surpresa, este Monte Velho Branco. Bonita cor cítrica, aspecto bastante limpo e cristalino, apresenta boas notas cítricas de limão, ameixa e pêssego. Na boca, temos um vinho de médio porte, macio mas de consistência e intensidade assinalável, com boa em que as nota cítricas e floral se encaixam muito bem e tornam este vinho bastante equilibrado e muito gastronómico.

 

O seu final agradavelmente aromático, sólido e firme, com bom comprimento.

 

Classificação final : 16,0 valores

 

RegiãoAlentejo
Tipo de VinhoBranco
Ano2016
ProdutorHerdade do Esporão
CastasAntão Vaz, Roupeiro, Perrum
Teor Alcoólico13,00 %
ConsumoBeber

 

 

 

MONTE DA RAVASQUEIRA Vinha das Romãs Tinto 2013

Monte da Ravasqueira Vinha das Romãs 2013 (1).JPG

 Localizado em Arraiolos, o Monte da Ravasqueira compreende uma área total de vinha de 45 hectares, na sua maioria com solos argilo-calcários com afloramentos graníticos. Toda a vinha encontra-se protegida por topografia montanhosa de floresta, ladeada por barragens e com uma altitude acima dos 250 metros, o que proporciona à vinha um clima fresco, ideal para combater temperaturas elevadas dos meses de maturação das uvas.

Em 2002, tomou-se a decisão de arrancar um conjunto de romãzeiras que ocupavam uma área de cerca de cinco hectares para se plantar vinha. Pretendia-se que o sucesso de maturação das romãzeiras pudesse transmitir-se na qualidade das uvas das castas Syrah e Touriga Franca, então plantadas naquela parcela que passou a chamar-se Vinha das Romãs.

 

 

 Notas de Prova :

Rolha em excelente estado, molhada na base e sem progressão.

Excelente nariz a fruta madura vermelha, especiado e com ataque mais fresco do que esperaria, este Vinha das Romãs apresenta-se como um tinto ainda jovem, mas já bastante afinado e polido para uma prova cheia de prazer. Muito sedoso, sem arestas, apresenta a textura macia, sedosa, plena de sabor. Os taninos são finos, muito bem desenhados, terminando longo, persistente e fresco.

Uma agradável surpresa este vinho, o meu primeiro Monte da Ravasqueira, que conquista em mim um fiel seguidor.

 

Classificação Pessoal : 17,0 valores

 

RegiãoAlentejo
Tipo de Vinho     Tinto
Ano2013
ProdutorMonte da Ravasqueira
CastasSyrah e Touriga Franca
Teor Alcoólico14,0%
ConsumoBeber

HERDADE DO ROCIM Touriga Nacional 2013

Herdade do Rocim Touriga Nacional 2013 (1).JPG

  A Herdade do Rocim é uma propriedade situada no Baixo Alentejo, entre Cuba e a Vidigueira, possuindo aproximadamente 120 hectares com vinha e olival, e que concilia a sua principal função (a de produção de vinho) com outras áreas de interesse, como cultura e lazer.

É caracterizada por possuir solos argilosos e arenosos, o que permite obter uvas de elevada qualidade e maturação, que se reflectem nos vinhos que produzem.

 

Notas de Prova :

Rolha em excelente estado, molhada somente na base. Bonita cor rubi concentrada, pleno de notas florais, menta, bastante especiado e raçudo, é um tinto carnudo, mastigável e que seduz pela sua opulência, sem contudo deixar de ser um vinho muito elegante..

Termina longo, persistente e com vontade de abrir a próxima garrafa!

 

Classificação Pessoal : 17,0 valores

 

RegiãoAlentejo
Tipo de Vinho    Tinto
Ano2013
ProdutorHerdade do Rocim
CastasTouriga Nacional
Teor Alcoólico14,00 %
ConsumoBeber / Guardar

MAGNA CARTA Reserva Tinto 2011

Magna Carta Reserva 2010 (1).JPG

 

 Rolha mau estado, quebradiça, molhada na base e com pouca progressão.

Cor granada bastante concentrada e definida, com laivos violetas, apresenta boas notas de fruta madura e frutos do bosque. Bom volume de boca, boa acidez, boa textura, é um vinho elegante, bem estruturado e sedoso, bom companheiro na mesa e conversador. Para a sua gama de preço, é um excelente vinho!

Guardei algumas garrafas em garrafeira e tem vindo a evoluir positivamente ao longo destes últimos anos, estando a meu ver no seu ponto ideal de consumo.

Termina longo e com muita elegância.

 

Classificação Pessoal : 16,5 valores

 

RegiãoAlentejo
Tipo de Vinho       Tinto
ProdutorCaves Velhas
Ano2011
Castas 
Teor Alcoólico13,5%
ConsumoBeber / Guardar

HT Tinto 2015

HT 2015.JPG

Terceira colheira deste vinho lançado por Tiago Cabaço, numa homenagem ao local onde passou a sua infância (Herdade do Trocaleite), este monovariatal Syrah foi adquirido com alguma curiosidade e expectativa. Sendo eu um confesso admirador do Tiago Cabaço, dos seus vinhos elegantes e bem feitos, bem como da casta Syrah, não poderia deixar de vivenciar e partilhar a experiência que foi beber este vinho.

 

Notas de Prova :

 

Rolha em excelente estado, molhada apenas na base e sem progressão.

 

Bonita cor rubi, com bordo claro, este monovarietal syrah mostra-se jovem, com excelente bouquet de aroma, de onde sobressaiem notas de frutos vermelhos.

 

Na boca, mostra-se um vinho bastante equilibrado, de taninos muito finos e delicados mas que lhe conferem simultaneamente vigor e elegância. Quente, termina longo e muito elegante, em mais uma clara prova do que pode ser um bom vinho a um preço bastante acessível e que, embora mereça ser bebido já, poderá evoluir por um par de anos em cave.

 

Classificação Pessoal : 16,0 valores

 

RegiãoAlentejo
Tipo de VinhoTinto
Ano2015
ProdutorTiago Cabaço
CastasSyrah
Teor Alcoólico13,5%
ConsumoBeber

 

CRASTO Tinto 2015

Crasto Tinto 2015.JPG

 Localizada em Sabrosa, entre a Régua e o Pinhão, a Quinta do Crasto é um dos ícones do Douro com os seus vinhos excepcionais e cheios de carácter, enquadrada numa paisagem em pleno Douro Vinhateiro, Património da Humanidade.

Com um património de 130 hectares, dos quais 70 hectares encontram-se plantados com vinha, oferece um vasto conjunto de programas para visitar a Quinta e todo o património envolvente, que vão desde visita às vinhas e à cave, passando pela indispensável prova de vinhos, até passeios de barco de cortar a respiração pelo Rio Douro.

A unidade dispõe ainda de uma das piscinas mais bonitas do mundo, com um enquadramento único, de autoria do Arquitecto Eduardo Souto de Moura, que é já um postal de visita da região por todo o mundo.

 

Notas de Prova :

 

Rolha em excelente estado, molhada apenas na base. Apresenta-se no copo com cor granada a violeta bastante carregada e concentrada, com excelente nariz a frutos maduros.

 

IMG_2784.JPG

 Na boca, prova cheio de sabor. Frutos silvestres maduros, taninos bem redondos , é um tinto fresquíssimo e encorpado, sedoso e untuoso. De textura muito fina, muito sedutor, está ainda muito jovem e tem pela sua frente um longo caminho de maturação em garrafa, pelo que não deixe de guardar algumas em cave e tesmunhar a evolução ao longo dos próximos anos de um dos tintos mais emblemáticos e carismátics do Douro.

 

Termina longo e muito elegante.

 

Classificação Pessoal : 16,5 valores

 

RegiãoDouro
Tipo de VinhoTinto
Ano2015
ProdutorQuinta do Crasto
CastasTinta Roriz, Touriga Franca, Touriga Nacional e Tinta Barroca
Teor Alcoólico13,5%
ConsumoBeber / Guardar

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Posts mais comentados

Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.